Sobre

Maecenas tempus, tellus eget condimentum.

O Bairro

Santa Olímpia, um bairro rural da cidade de Piracicaba, é um pequeno pedaço do Tirol no estado de São Paulo. Fundado por imigrantes da cidade de Trento no final do século XIX, o povoado mantém viva as tradições dos pioneiros, através do folclore, culinária típica e do modo de viver e falar de seus moradores. Ao chegar à pequena colônia tirolesa, nota-se imediatamente uma igreja que se destaca na paisagem verdejante. Tanto na praça central, repleta de flores e árvores, quanto na disposição das casas, sem muros e com ruas estreitas, é possível ver a influência europeia. Esse panorama pitoresco reflete também o modo de vida dos habitantes do lugar: gente alegre e hospitaleira que mantém viva a alma tirolesa em terras paulistas.

História

No fim do século XIX, a abolição da escravidão tornou necessária a substituição da mão de obra negra por trabalhadores europeus. Ao mesmo tempo, a crise econômica na região do Tirol incentivou milhares de tiroleses a deixaram o Império Austro-húngaro em busca de melhores condições de vida. No fim do ano 1881, Giacomo Correr, Rosa Pompermayer e seus 11 filhos partem de Romagnano, nos arredores de Trento, em direção ao porto de Santos. Ao chegar ao Brasil, a família se dirigiu à fazenda Sete Quedas, na região de Campinas, onde já trabalhavam parentes e conhecidos das famílias Forti, Vitti, Stenico, Christofoletti e Degasperi. Após alguns anos de trabalho, transferiram-se para a fazenda Monte Alegre, na cidade de Piracicaba. No ano de 1892, as famílias compraram a fazenda Santa Olímpia, localizada a cerca de 23 km do centro de Piracicaba. No ano seguinte, Bortolo Vitti, seus filhos e alguns integrantes da família Forti compraram a fazenda ao lado, Sant’Anna. Ao longo dos anos, casamentos entre as famílias do bairro uniram ainda mais as famílias.

Atualmente, os bairros Santa Olímpia e Santana formam a colônia tirolesa de Piracicaba, que representa uma das mais expressivas colônias de imigrantes da região, e que mais de 120 anos depois de sua fundação ainda mantém suas tradições.

O Trentino

A atual província autônoma de Trento, na Itália, é a porção mais ao sul do antigo Estado do Tirol, que pertenceu ao Império Austro-húngaro até 1918. Após a I Guerra Mundial, essa região foi dividida entre Áustria e Itália. Na maior parte das regiões tirolesas, a língua principal é o alemão e seus dialetos. No entanto, na região trentina pode-se notar uma verdadeira mescla entre o mundo italiano e o mundo germânico, o que trouxe uma identidade italiana aos trentino-tiroleses. O fator linguístico nunca foi um problema, pois o convívio entre esses povos com idiomas distintos sempre foi pacífico