O bairro Santa Olímpia

Por Everton Altmayer.

O bairro Santa Olímpia, na cidade de Piracicaba, é um pequeno pedaço do Trentino no Brasil. Fundado por imigrantes tiroleses no final do século XIX, o bairro mantém hoje viva a memória e as tradições dos pioneiros, através do folclore, da gastronomia, das festas típicas e do modo de viver e falar de seus moradores.

A praça de Santa Olimpia

A primeira impressão de alguém que chega ao pequeno bairro rural de Santa Olímpia é a de ter encontrado em meio ao verde da paisagem uma pequena aldeia de montanha: uma igreja central, rodeada por uma ampla e tranqüila praça, enfeitada com belas flores e verdes árvores; logo ao lado é possível ver as pequenas e estreitas ruas, como aquelas das aldeias européias, com janelas e portas que dão diretamente para a rua.

Esta bela e romântica aparência também reflete o modo de viver de seus habitantes, gente simples e muito alegre, que mantém em terras paulistas a sinceridade e hospitalidades dos tiroleses.

A belíssima Igreja central, em honra à Imaculada Conceição, garante à paisagem um aspecto de aldeia medieval, fazendo do bairro um cartão postal para o visitante. Junto à praça é possível ouvir entre uma conversa e outra o dialeto ítalo-tirolês, ainda falado pelos habitantes do local, e não apenas pelos mais velhos, mas também por alguns jovens e crianças, preservando com muita estima a língua de seus antepassados.

Outra característica de seus habitantes é a profunda religiosidade católica, sinal de amor e gratidão pelos benefícios que os imigrantes tiroleses encontraram no Brasil. O “escadão” ao lado da igreja é uma antiga tradição arquitetônica, uma das poucas escadarias para as procissões da vias sacras ainda existentes no mundo. Construído em 1945, a grande escadaria possui 90 degraus, divididos em 15 lances de escada, um para cada estação da Via Sacra.

Calvário

Calvário

O aspecto pacato do Bairro Santa Olímpia não limita a alegria de seus habitantes, e, assim, seus moradores mantém atividades culturais como um grupo folclórico com mais de 110 integrantes, três corais, grupo teatral típico e pequenas bandas musicais.

A sede da Associação de moradores de Santa Olímpia é a mais antiga casa colonial do bairro, datada do início do século XX, e que serviu em outras épocas como local de encontros importantes e festas. No mesmo local funciona o Centro Histórico-Cultural, que possui um pequeno museu com objetos pertencentes aos pioneiros do bairro. Ali é possível descobrir o modo de vida dos primeiros colonos trentinos. Casa mais antiga do bairro. É atualmente a sede da Associação dos Moradores do Bairro de Santa Olímpia.

Casa sede da Associação de Santa Olimpia

Casa sede da Associação de Santa Olimpia

Saídos do Trentino (Tirol italiano), região alpina do norte da Itália, os imigrantes vieram para o Brasil trabalhar no campo e aqui encontraram as oportunidades que lhes faltavam com a crise que assolava a Europa. Assim foi possível, através de muito trabalho, constituírem famílias e desfrutarem de um clima salubre, de terras férteis e natureza exuberante.

Para homenagear o centenário da chegada dos primeiros imigrantes trentinos, foi inaugurado em 1992 um monumento aos pioneiros, com seus nomes e os nomes dos “patriarcas” do Bairro Santa Olímpia, o casal Jacó Correr e Rosa Pompermayer. Também são representados a economia da época e a religiosidade dos fundadores. Monumento localizado na praça Padre Jacob, em frente à Igreja Imaculada Conceição.

Monumento aos imigrantes

Monumento aos imigrantes

O vizinho Bairro Santana, também de fundação trentina, forma com Santa Olímpia o núcleo de colonização trentino-tirolesa de Piracicaba. O Circolo Trentino di Piracicaba, com sede no bairro, é a ponte que liga os descendentes trentinos à terra de origem de seus antepassados, a Província de Trento – Itália.

A população de Santa Olímpia, embora pequena, consegue atrair anualmente para o bairro milhares de visitantes para a tradicional Festa da Polenta, sempre realizada no último final de semana do mês de julho e que anima o inverno com diversas atrações culturais, folclóricas e gastronômicas, promovidas pelos próprios habitantes do bairro.

Outra festa muito animada é a Festa da Cuccagna, “o carnaval dos tiroleses” de Santa Olímpia, que atrai dezenas de jovens e anualmente anima a terça-feira de carnaval.

Comente este artigo!

Você pode utilizat tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>